Brigada Militar prende abigeatarios e Polícia Civil não lavra o flagrante

Abigeato na Ivernada Luguna

















Abigeato na BR 290 Fazenda Itú














O furto abigeato praticado para a comercialização de carne bovina em mercearias e em açougues clandestinos, passou a fazer parte do grupo dos crimes organizados no município. O roubo de gado a décadas atormentam os produtores rurais e a Patrulha Rural de Combate ao Abigeato da Brigada Militar, encarregada do combate preventivo, que somente neste ano, apreendeu mais de 2 toneladas de carne oriunda do furto abigeato. Neste mês de agosto, duas prisões em flagrante por furto abigeato realizados pela PM, deixaram a comunidade estarrecida, pelo fato da Polícia Civil não ter lavrado os autos de prisão em flagrante em desfavor aos acusados, que foram detidos com todos os elementos que caracterizam o flagrante próprio, (está cometendo a infração penal). Artigo 302 do Código de Processo Penal. Considera-se em flagrante delito quem: I - está cometendo a infração penal; II - acaba de cometê-la; (flagrante próprio ou real). III - é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração; (flagrante impróprio ou quase flagrante). IV - é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração; (flagrante presumido).
Prisão I
A Patrulha de Combate ao Abigeato da Brigada Militar de Rosário do Sul, prendeu no dia 1º de agosto, às 20h no km 494 da BR 290, Iramar Ferreira Saraiva, proprietário de um táxi Fiat Uno, de cor branca, carregando a carne de três animais bovinos, quando a patrulha chegou ao local, dois elementos que acompanhavam Iramar, fugiram deixando para trás um cavalo gateado encilhado. Segundo informação dos milicianos, Iramar estava sendo monitorado há algum tempo, pois através de informações era ele que transportava a carne furtada para os abigeatarios. Os ladrões de gado que há bastante tempo vem atuando na região do 2º Distrito, causando prejuízos aos pecuaristas da localidade, também deixaram no local do abate um machado, uma faca, um alicate e dois laços. Os patrulheiros conduziram o motorista o cavalo e os materiais apreendidos para a Delegacia de Polícia, onde o Iramar relatou que apenas foi contratado para fazer uma corrida no seu táxi e, foi ouvido como testemunha e liberado.
Prisão II
Uma denuncia que na invernada Laguna localizada no 1º Distrito (Corte), dia 18 de agosto, haviam indivíduos estranhos carregando para um bote, mas margens do Rio Santa Maria produtos de furto abigeato. Agindo com rapidez o comandante da Patrulha Rural sargento Alcimar, enviou para o local um policial militar, que monitorou toda a ação dos abigeatarios, transmitindo informações que a carne estaria sendo transportada em uma carroça até Rua Minas Gerais, localizada no bairro Parque Ibicuí. Completando a operação a patrulha abordou o elemento, vulgo “Gordo Cristiano” no momento que pendurava a carne em um galpão. O meliante foi preso em flagrante delito e, juntamente com ele foi apreendida a carne furtada, balanças, cordas, ganchos, serras, facas, facões e dois rádios transmissores, que segundo os policiais militares, caracteriza formação de quadrilha (crime organizado). Conduzido a Delegacia de Polícia juntamente com o material apreendido, que caracteriza a materialidade do crime, o infrator orientado pelo seu advogado, declarou para o policial civil de plantão, que somente se manifestaria em juízo e foi colocado em liberdade.